30 GASTRONOMIA | KURISUMASU KEEKI, O BOLO DE NATAL JAPONÊS

30gastronomiaimagem02Japonês também comemora Natal. Nos anos 80, era uma espécie de Dia dos Namorados,  incluindo  jantar em restaurante, troca de presentes e final de noite em um hotel de luxo, tudo regado a muito champanhe. Com a  desaceleração da economia japonesa, a festa de Natal se transformou em algo do tipo  do it yourself e como no Ocidente, é uma festa familiarMas na ceia, em vez de peru,  frutas e panetone, os japoneses preferem   o  karaage (frango frito, crocante e bem temperado), acompanhado pelo  kurisumasu keeki, o  bolo de Natal.

Em vez de Papai Noel, as crianças acreditam em Jizo , uma entidade xintoísta que representa o espírito do renascimento. As ruas também ficam iluminadas e as pesssoas se cumprimentam com kurisumasu Omedeto. Para quem quiser experimentar fazer uma sobremesa de natal japonesa, segue abaixo, a receita.

RECEITA

  • 3 ovos
  • 100 g açúcar
  • 90 g de farinha peneirada
  • 30 g de manteiga derretida
  • 1 colher de sopa de água
  • 400 g de creme de leite fresco gelado
  • 5 gotas de essência de baunilha
  • 3 colheres de sopa de açúcar
  • 1 caixa de morango
  • 50 ml de água
  • 50 g de açúcar
  • 1 colher de sopa de grappa italiana ou outro aguardente perfumadoPreparo :
Pão-de-ló
Bata os ovos inteiros e o açúcar em banho-maria, na batedeira elétrica ou no fouet, até a mistura atingir 45ºC (quando ao toque estiver quente, mas suportável). Retire imediatamente, continue a bater até esfriar e a mistura triplicar de volume. Coloque a colher de água e continue a bater, misturando com a espátula a farinha peneirada 3 vezes. Quando a mistura estiver bem homogênea, coloque a manteiga derretida e misture mais um pouco.
Coloque em fôrma redonda de 20 cm, untada com manteiga líquida e farinha de trigo, e vaporize a superfície da massa com água (isso evita rachaduras).
Asse em forno preaquecido (180ºC) por 25 a 30 minutos (não abra o forno durante o processo). Retire do forno, sem esquecer o teste do palito ou pressionando de leve a superfície (que deve estar firme). Sobre um pano de prato espesso, jogue de leve a fôrma de altura de 30 cm – esse pequeno choque retirará o ar e evitará que o bolo fique enrugado. Deixe esfriar sobre uma grelha por 10 minutos e desenforme sobre a grelha, até esfriar completamente.
Esse pão-de-ló fica melhor no dia seguinte. Logo que esfriar deve ser embrulhado em filme-plástico e pode ser conservado por 3 dias em temperatura ambiente, 10 dias na geladeira e 1 mês no congelador.
Cobertura
Bata o creme de leite gelado até começar a engrossar, junte o açúcar e a essência de baunilha. Ele não deve ficar muito duro. Em uma escala de 1 a 10, sendo 1 para o creme de leite sem bater e 10 para o batido até quase granular, a cobertura deve estar entre 7 e 8: quer dizer, espessa o suficiente para cobrir o bolo, mas leve e lisa, quase escorrendo.
Calda
Misture todos os ingredientes à frio, até derreter o açúcar completamente. Preencha um vaporizador com essa calda.
Montagem
Corte o pão-de-ló em 3 partes na horizontal, utilizando uma faca de serra. Vaporize com a calda todas as fatias e recheie com o chantilly e fatias de morangos cortadas ao meio, reservando os mais bonitos para decorar o bolo. Cubra o bolo com o chantilly e enfeite com os morangos. Refrigere por algumas horas antes de servir.
Advertisements

30 KOTOBA | RENASCER EM QUALQUER LUGAR

Lanternas acesas no fim de ano, em 2007. Koji Sasahara/AP
Lanternas acesas no fim de ano, em 2007, em Tóquio. Koji Sasahara/AP

Tradições orientais ou tradições ocidentais ? O Natal é a época em que muitas famílias nipo-brasileiras optam por conciliar as tradições culturais da etnia e da nacionalidade. Para os nikkei, em dezembro começa a série de comemorações do bonenkai –  o encontro do final de ano. Cada grupo social celebra o seu bonenkai e o Natal será reservado para a família.

Essa separação entre o que é público e o que é privado nas famílias nipo-brasileira encaixa-se dentro do “modelo familiar japonês”. O japonês diferencia as relações “de dentro” (uchi) e “de fora” (soto). Assim, cria  uma ética de permissões e restrições na linguagem (corporal, também) para definir a privacidade e a sociabilidade.

O cristianismo  foi expulso do Japão no século XVII, mas deixou suas marcas.  Com a modernização , a partir de 1980, o Natal passou a ser celebrado, embora seja um evento comercial, não uma data religiosa.  Os bonenkai  seguidos do shinenkai – a festa do início do ano é que têm prioridade.  Os japoneses também fazem a “ceia de natal” , com um curioso Bolo de Natal , decoram suas casas e trocam presentes.  Mas essa data se tornou um evento romântico, para ser celebrada entre namorados.

Mesmo diante do inevitável avanço da ocidentalização, os japoneses sempre encontram formas criativas de comemorar as festas de fim de ano. A árvore de natal pode ter a forma do aterrador monstro Godzilla, personagem de cinema trash. Ou lembrar as vítimas do mais recente terremoto, ocorrido em  Miyagi. Assim, a convivência pacífica das tradições, as  comemorações “soto” não ultrapassam as do “uchi”.

 MEMAI deseja a todos boas festas. Em 2014 continuamos seguindo a vertigem.

Marilia Kubota