28 KINEMA | MOSTRA DE CINEMA NIKKEI : DEKASSEGUIS

Cena de Ou est le soleil, de Claire-Sophie Dagnan. Foto: divulgação.
Cena de Ou est le soleil, de Claire-Sophie Dagnan. Foto: divulgação.

Na próxima quarta-feira (30), a MOSTRA DE CINEMA NIKKEI apresenta dois documentários sobre a vida dos descendentes de japoneses,   Permanência, de Hélio Ishii,  e Ou est Le soleil, de Claire Sophie Dagnan.  Permanência  volta o seu olhar para os brasileiros e filhos de brasileiros que estudam em solo japonês. Os entrevistados questionam a situação do dekassegui – o trabalhador sem vínculos , que na imigração ao Brasil veio trabalhar na lavoura, e na imigração ao Japão labuta na indústria.  Os  brasileiros que trabalham no Japão vivem num mundo à parte, seguindo  a cultura latino-americana. Já, os filhos, que frequentam escolas japonesas, passam a vivenciar a cultura japonesa, criando conflitos familiares e até, de comunicação.

Hélio Ishii é formado em Ciências Sociais pela USP e trabalhou como dekassegui no Japão, em 1991. Teve uma experiência marcante. Depois de sua volta, em 1994, começou a pensar em registrar em vídeo experiências como a sua, não a do “sucesso”, mas as mais conflituosas.   A partir de 2000 começou a pesquisar novos formatos e meios de distribuição e deu início ao projeto  “Narco Talk Show” para internet. O programa é uma sátira a indústria de celebridades e usa o formato de “Talk show” para  transformar personagens marginais em celebridade inconvenientes.

A partir de 2003 vem se dedicando a produção de obras cuja temática  tratam das migrações. Em 2004 lançou o documentário Cartas , sobre a experiência de mulheres brasileiras que emigraram ao Japão. Em novembro de 2006 lançou após uma temporada no Japão o documentário Permanência . Foi  curador da mostra  “Olhares Transversais” realizado pela Japan Foundation em novembro de 2006 reunindo documentários e ficções que tratassem dos cruzamentos culturais  preparando assima discussão no cinema para o centenário da imigração japonesa no Brasil. Em 2006 criou o Núcleo Virgulino para desenvolver e promover as atividades de um  grupo de artistas que trabalha de forma coletiva.

Ou est le soleil

Ou est le soleil – Onde está o sol, de Claire Sophie Dagnan, é um documetário que registra depoimentos de artistas e pesquisadores japoneses ou descendentes que moram em São Paulo. O artista visual  Dudu Tsuda, a bailarina Letícia Sekito, o ator  Henrique Kimura , entre  outros, questionam  as diferenças culturais, os modos de ver, de ser e reconhecer como plural o outro. Este filme reconta as trajetórias pessoais, em busca de um lugar na sociedade, de um lugar ao sol , deixando no ar a pergunta sobre a identidade de uma etnia que, depois de um longo tempo insularizada, passa a se tornar diaspórica.

Claire-Sophie Dagnan é formada em ciências sociais, e estudante em mestrado de relações internacionais na universidade Sciences Po em Paris. Após um ano trabalhando no Brasil entre o Rio de Janeiro e a região amazônica para a ONG PlaNet Finance, prepara um intercâmbio em antropologia com a universidade de Nova York. Trabalha sobre um projeto de curta-metragem relatando histórias de mulheres amazônicas.

A MOSTRA DE CINEMA NIKKEI está sendo exibida no Cinea Guarani, às 20 horas, no Portão Cultural – Avenida República Argentina, 3430.