18 HAICAI | A POESIA CLÁSSICA DO HYAKUNIN-ISSHU

Por Regina Bostulim

Jogo de cartas inspirado no Hyakunin-Isshu .
Jogo de cartas inspirado no Hyakunin-Isshu .

O Hyakunin-Isshu é uma antologia de cem wakas[1], escritos entre os séculos VII e XIII, período em que Fujiwara no Teika (1162-1241) juntou a coleção. Os poemas são cem tankas, compostos por 31 sílabas (5-7-5-7-7)[2].

Hyakunin significa cem pessoas e isshu significa poemas (sendo shu a contagem do número de poemas). O Hyakunin-Isshu é a antologia dos poemas dos cem maiores poetas do período Heian. Os poemas estão em ordem do ano 670 até 1235, ano de sua compilação.

O nobre Fujiwara no Teika, que compilou as poesias sob as ordens do imperador, viveu durante a transição do período Heian, que foi aristocrático, ao período Kamakura, de característica guerreira, dominado pelo shogunato. Mais tarde seu filho Fujiwara no Tameie efetuou uma revisão do livro. A marca deixada por Fujiwara no Teika na obra é o tanka 97, de sua autoria.

Cerca de metade das poesias têm como tema o amor, pois foram originalmente escritas como cartas de amor. Outros temas presentes são a natureza e as estações do ano. O Hyakunin Isshu (Cem poemas de 100 poetas) é tão importante para a literatura japonesa, que influenciou obras como os Contos de Gengi e os Contos de Ise. Os versos também inspiraram um jogo de cartas (karuta), que consistia em juntar os versos de cada poema.

Os poemas foram escritos por cortesãos ou por pessoas da família imperial. Nos velhos tempos, somente nobres, altos dignatários, e o clero escreviam versos. Era suposto que os pobres desconhecessem tudo sobre arte.

Porém os poemas eram amados pelo povo, que os conhecia de cor. Uma vez um rei que passava por um campo, recebeu um ramo de flores de uma camponesa que lhe disse algumas palavras. Mais tarde, o rei se deu conta de que as palavras ditas pela camponesa eram versos do Hyakunin Isshu. E a admirou pela sua perspicácia, não esperava que alguém tão simples pudesse saber de literatura.

POEMAS

Para saber mais:

PORTER, William N. A Hundred Verses from Old Japan. (The Hyakunin-isshiu).  London: Clarendon Press, 1909. Kindle edition published by Evinity Publishing Inc, 2009.

Regina Bostulim é pesquisadora do Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos de Coimbra.

[1] O waka (literalmente poema japonês), é um tipo de poesia da literatura japonesa clássica. Escrito em japonês, contrasta com a poesia conhecida como kanshi, escrita em chinês, que foi popular no período Heian.

[2] Os hai-kais, de 17 sílabas, começaram a ter proeminência no século XVII.

 

[3] Monte Uji, literalmente, monte da tristeza.

HAICAI | OS DEZ PRIMEIROS POEMAS DO HYAKUNIN-ISSHU

Transcriação: Regina Bostulim

Do Imperador Tenchi em seu reinado (668-671)

poeta número 1
Imperador Tenchi: imagem de Ogura Hyakunin Isshu

campo dum dia de outono -/casas cheias de feno/fico no estábulo/meu chinelo bordado/molhado de chuva

秋の田の  かりほの庵の  苫をあらみ わが衣手は 露にぬれつつ

Da Imperatriz Jito em seu reinado (690-696)

vai primavera, vem verão/ e eu a observar -/ no pico de Ama-notagu/anjinhos colocam asas/para secar

春過ぎて  夏来にけらし 白妙の 衣ほすてふ天の香具山

Carta da Imperatriz Jito
Imperatriz Jito: imagem de Ogura Hyakunin Isshu
Kakinomoto: imagem de Ogura Hyakunin Isshu

Do cortesão Kaki-no-Moto no reinado do Imperador Mommu (697-707)

névoa na montanha/como cauda de pavão –/mas longe de mim/na solidão,/a noite é sem fim

あしびきの 山鳥の尾の しだり尾の ながながし夜を ひとりかもねむ

Akahito Yamabe: imagem de Ogura Hyakunin Isshu.

Do  poeta Akahito Yamabe(Cerca de 700)

praia cinza, mar de Tago mas o pico do monte Fuji

a reluzir, branco,através de flocos de neve

田子の浦に 打ち出でてみれば 白妙の 富士の高嶺に 雪はふりつつ

Do  oficial shinto Saru Maru(Cerca de 800)

um gamo chama,/longe, no lado da montanha,/e eu entre as folhas de bordo/que o vento espalha –/triste maré de outono

奥山に 紅葉ふみわけ 鳴く鹿の 声きく時ぞ 秋は悲しき

18haicaiimagem06
Chūnagon Yakamochi by Kanō Tan’yū, 1648.

Do vice-rei Yakamochi (morto em 785)

ponte dos passarinhos/um rei lança seu manto/ ela atravessa/a noite quase passa/o dia vem rápido

かささぎの渡せる橋に 置く霜の 白きを見れば夜ふけにける

Abe no Nakamaro (Cerca de 726, quando o poeta tinha 16 anos

observo o  céu/meus pensamentos voam longe/vejo a lua que surge/sobre o monte Mikasa/na distante Kasuga

天の原 ふりさけ見れば 春日なる 三笠の山に 出でし月かも

 

18haicaiimagem08

Do  sacerdote Kizen

moro no subúrbio/numa casinha simples/perto do monte triste[3]/então o povo fala/que sou só tristeza

わが庵は 都のたつみ しかぞすむ 世をうぢ山と 人はいふなり

Komachi no Ono : Kanō Tan’yū, 1648.

Komachi Ono 

tinta lavada/pela chuva forte/minha beleza fenece -/enfeite em vão/vã floração

花の色は うつりにけりな いたづらにわが身世にふるながめせしまtに

Semimaru: imagem de Ogura Hyakunin Isshu.

Semimaru, filho do  imperador Uda

(reinado de 888-897),  que não chegou a reinar por ter ficado cego.

estranho viajante/acolhido com um

sorriso -/na barreira da montanha/todos param,  /repousam e se vão

これやこの 行くも帰るも 別れては 知るも知らぬも 逢坂の関

18 KINEMA | MORRE NAGISA OSHIMA, DE "O IMPÉRIO DOS SENTIDOS"

No último dia 15 de janeiro morreu o cineasta Nagisa Oshima, que  ganhou fama como diretor do filme “O Império dos Sentidos” (1976) e “Furyo, em nome da honra” (1983). Ele  morreu aos 80 anos em um hospital de Kanagawa, ao sul de Tóquio, por causa de uma pneumonia.

O cineasta Nagisa Oshima, em filmagem.
O cineasta Nagisa Oshima, em filmagem.

Oshima pertenceu ao  novelle vaugue (nova onda, termo cunhado para designar os novos cineastas, na França, nos anos 50 e 60)  japonês e  tornou-se um dos nomes mais importantes do cinema de seu país. Outras obras de seu acervo: “Tabu” (1999) – seu último longa –, “Koshikei” (1968) e “O império da paixão” (1978).

Nascido em Okayama em março de 1932,  Oshima estudou Direito na Universidade de Kioto, onde se destacou por seu ativismo de esquerda e desenvolveu seu gosto pela literatura e pelo teatro. Ao concluir seus estudos, entrou para uma produtora local, mas poucos anos depois, desencantado, criou sua própria companhia, que fracassaria comercialmente e o obrigaria a trabalhar para a televisão.

Oshima surgiu em 1954, como diretor, no estúdio Shochiku. Em 1960, saiu da companhia e formou seu próprio estúdio independente, Sozosha, em 1965. Com outros cineastas japoneses ( Masahiro Shinoda, Shôhei Imamura and Yoshishige Yoshida), reagiu contra o predomínio dos ícones YasujirôOzu, Kenji Mizoguchi e Akira Kurosawa. Os filmes de Oshima tendem a expor o materialismo que predominou na sociedade japonesa após a Segunda Guerra Mundial. Consolidou-se como uma das figuras mais críticas da sociedade e da política de seu tempo, que denunciava em filmes que frequentemente tinham como protagonistas personagens rebeldes ou criminosos.

Cena de "O império dos sentidos".
Cena de “O império dos sentidos”.

O filme pelo qual é mais conhecido no Ocidente,  O Império dos Sentidos,  destaca um obsessivo relacionamento sexual. Como outros filmes de Oshima, potencializa-se por ser baseado em fatos reais. O filme foi censurado no Japão e rejeitado no Festival de Cinema de Nova York, mas obteve o Prêmio Internacional do Festival de Cinema de Cannes e um amplo reconhecimento internacional.

Já “Furyo, em nome da honra” (Merry Christmas, Mr. Lawrence ) traz o astro David Bowie em grande performance, além de Ryuichi Sakamoto e Takeshi Kitano. A história é baseada nas vivências de Laurens van der Post durante a Segunda Guerra Mundial como um prisioneiro de guerra.  Bowie, que interpreta um major neozelandês, despertará a atração de do rigoroso oficial japonês (Sakamoto) que mantém prisioneiros ingleses na Ilha de Java.  Sakamoto também compôs a trilha musical e vocal “Forbidden Colours”, com David Sylvia. O filme concorreu no  Festival de Cannes em 1983.

As obras do cineasta japonês foram objeto de homenagem em vários certames, entre eles o Festival de Internacional de Cinema de San Sebastián, que em novembro do ano passado anunciou que em sua próxima edição Oshima será objeto de uma retrospectiva que reunirá todos seus longas-metragens para o cinema.

18 RECEITAS | EDAMAME

PETISCO DE EDAMAME

  • 300g de edamame crua
  • 1 litro de água
  •  sal a gosto

Lave bem as vagens e corte as extremidades antes de cozinhar ou colocar no vapor. Dissolva o sal na água antes de adicionar as vagens. Cozinhe até que o edamame esteja tenro e de coloração verde mais claro. Descasque, DESCARTE as vagens e consuma os feijões verdes.

Rendimento: 2 porções.

RISOTO DE ARROZ INTEGRAL, EDAMAME E SHIMEJI

Crédito: Cozinha Japonesa. Yasuko Fukuoka, Editora Marco Zero
Crédito: Cozinha Japonesa. Yasuko Fukuoka, Editora Marco Zero

Ingredientes:

  • 1 xícara de arroz integral
  • 100g de cogumelo shimeji
  • 150g de edamame cozido
  • 1 ½ colher (sopa) de manteiga
  • 50 ml de shoyu
  • 50 ml de saquê mirin

Preparo:

Cozinhe o arroz integral em duas xícaras de água fervente com a panela semi-aberta, até  iniciar um som de estalo fraco na panela. Tirar do fogo e reservar. À parte,  lave o shimeji e separe os cogumelos. Em uma panela funda derreta a manteiga, adicione o shimeji e o edamame previamente cozido e refogue até o cogumelo reduzir de tamanho. Acrescente o mirin, o shoyu e o arroz previamente cozido, misture bem e cozinhe por mais 2 minutos. Sirva em tigelas individuais.

Rendimento: 4 porções.

18 GASTRONOMIA IMPOSSÍVEL COMER UM GRÃO SÓ!

Edamame (枝豆/ eda=galho; mame= feijão) ou soja verde é um aperitivo muito consumido no Japão, China e Coréia. È um excelente petisco para os dias quentes de verão. Hoje apresento algumas possibilidades de consumo e preparo deste grão tenro e apetitoso, introduzido no Brasil pelo largo cultivo da soja em diversas regiões brasileiras e pela introdução através dos restaurantes orientais. Há dois anos cultivo na horta da minha casa alguns pés de soja para colher edamame neste época (janeiro/fevereiro). Compro alguns grãos de soja a granel e semeio no mês de outubro. E por que planto meu próprio edamame?

Os motivos mais básicos são: as grandes plantações de soja utilizam muitos agrotóxicos e sem saber a procedência, prefiro não consumir este tipo de alimento. O  outro motivo é pelo prazer de participar de todo o processo gastronômico, ou seja, do plantio à mesa passar por todas as etapas do preparo. Para os que não dispõem de tempo, espaço e paciência é possível encontrar o edamame nas lojas de alimentos orgânicos, feiras e lojas de produtos orientais no verão.

Crédito: http://gastrolandia.uol.com.br
Crédito: http://gastrolandia.uol.com.br

O edamame é altamente nutritivo e uma fonte excelente de proteínas, carboidratos, fibras e minerais. Alguns dos benefícios já comprovados do consumo da soja verde são a redução da perda de massa óssea e a diminuição do colesterol no sangue. Somente os alérgicos à soja devem restringir o consumo. O preparo é muito simples e rápido. Como a soja verde apresenta grãos maiores, mais saborosos, macios seu cozimento é muito rápido dando o tom de sabor e versatilidade a este ingrediente.

Comer edamame remete a um bordão de uma marca de petiscos brasileira, porém com uma infinidade de sabor e elevado teor saudável que os salgadinhos industrializados não possuem: “É impossível comer um grão só!”.

Itadakimasu (いただきます)!

 RECEITAS

18 KOTOBA | MEMAI DE CARA NOVA

Neste mês,  renovamos o layout do MEMAI. Agora, o site permite que o leitor tenha mais acesso a informações de seu arquivo. As últimas notícias e artigos publicados estão em destaque, no topo da página principal. E durante o longo do ano, estaremos trabalhando para que o periódico cresça, com mais colaboradores,  parcerias, trazendo mais  informações e novidades sobre a cultura japonesa no Brasil e a cultura brasileira no Japão.

Agradecemos aos que  têm acompanhado a nossa viagem até   aqui.  Esperamos que  novos viajantes possam embarcar em nossa vertigem pela cultura japonesa.

Marilia Kubota

NOTÍCIA | EVENTO POP TRAZ DUBLADOR DE ANIMÊS

Élcio Sodré
Élcio Sodré

Neste final de semana (26 e 27)  mais um evento de cultura pop japonesa agita  Curitiba. É  a  primeira edição da Hypecon, que traz como atração especial  a palestra de Elcio Sodré, dublador de Shiryu de Dragão ( Cavaleiros do Zodíaco), Black Kamen Rider, Kakashi Hatake (Naruto), entre outros personagens de animes, séries e filmes. O dublador  falará sobre a sua carreira,  responderá perguntas do público e  gritará o Cólera do Dragãoooooooo!

O evento terá também apresentações da banda The Black Heaven, de danças temáticas, concurso Cosplay, exposição de trabalho do Lobo Limão, apresentação do grupo Multiplayers e atividades interativas com o público. Além disso, o evento terá salas temáticas com muitos games com o pessoal do Treta Championship, RPG com a equipe do World WalkersKorean Pop com Check it Out, e muitos mais.

Os ingressos serão vendidos no dia, sendo o valor de R$ 10/dia.

Serviço: Hypecon

Datas: 26 e 27/jan

Local: SESC Água Verde – Av. República Argentina, 944 – Curitiba/PR
Ingresso: R$10 por dia
Mais informações
http://hypecon.com.br/
Fanpage: https://www.facebook.com/Hypecon/
Twitter: http://twitter.com/hypecon/