KINEMA | Jun Okamura – A Imigração Japonesa Vista por Dentro

Advertisements

NOTÍCIA | AS ESTAÇÕES DE TREM DE TÓQUIO

Neste site você pode conhecer as 29 estações da Yamanote Line – a mais importante linha de trem da capital japonesa, que transporta mais de 3,5 milhões de pessoas por dia.  O diferencial desta linha é que o itinerário  é circular, ou seja, não importa de onde você parte, sempre voltará para o mesmo lugar.

As fotos e vídeos (veiculados no Youtube)  do site fazem parte do  trabalho da estudante de Jornalismo Nadia Kaku, para a conclusão de curso de Jornalismo na ECA/USP. Ela esteve no Japão em setembro de 2011 e captou flagrantes da metrópole japonesa.

08 | LITERATURA | ENTREVISTA GENY WAKISAKA

Geny WakisakaA professora de Literatura e Língua Japonesa  Neide Nagae entrevista Geny Wakisaka, uma das personalidades que compõe o quadro pioneiro dos Estudos Japoneses no Brasil. Nas páginas 4, 5, 6 e 7 do JORNAL MEMAI 08 – edição Primavera, você pode conferir o bate-papo com a pesquisadora, que recebeu um prêmio do governo japonês pela obra Man’yôshû vereda do poema clássico japonês, publicado pela Editora Hucitec em 1992, com o auxílio da Fundação Japão e da Aliança Cultural Brasil-Japão.

A pesquisa é inspirada em sua  tese de doutorado  O Mundo Poético de Yoshino nas Mutações dos Chôka (1987), sobre os poemas longos dos séculos VI ao VIII, inseridos na antologia poética Man’yôshû.

Tradutora de prosa e poesia, organizadora de livros de tradução como o de Akinari Ueda e Kenzaburo Oe, Contos da Era Meiji e Contos Modernos Japoneses, publicados pelo Centro de Estudos Japoneses da USP, ainda hoje, Geni Wakisaka  continua ativa. Está concluindo a tradução em grupo de Makura no sôshi – (O livro do travesseiro) , uma  das maiores  obras da Literatura Japonesa classica, escrita por Sei Shonagon no século X.

POEMAS DO MAN YÔSHU

 

妥女の袖吹き返す明日香風都を遠みいたづらに吹く

(Poema 51, Tomo I)

Ventos de Asuka

Tumultuam as mangas

Das servidoras palacianas

Deslocada a capital

Ora debalde passam

 

吾を待つと君が濡れけむあしひきの山のしづくにならましものを

(Poema 108, Tomo II)

Quisera transformar-me naquele orvalho

Que envolvera seu corpo

Orvalho ao pé da montanha

No tempo em que me aguardavas.

 

旅人の宿りせむ野に霜降らば吾が羽ぐくめ天の鶴群

(Poema 1791, Tomo IX)

Cegonhas migrantes

Se a geada cobrir os campos

Em que pernoitam viajantes

Meu filho

Acolham sob suas asas.

 

東の野にかきろひの立つ見えてかへりみすれば月傾きぬ

(Poema 48, Tomo I)

Dos campos emerge

A claridade ao leste

Volvendo-me a oeste

Vejo o submergir

Da lua.

 

 

 

08 | HQ | SETO E OS MANGAKÁS DO BRASIL

O mangá se tornou popular no Ocidente com a divulgação da obra Lobo Solitário, de Frank Miller, mas  já havia, antes, no Brasil,  desenhistas nisseis como Claudio Seto, Julio Shimamoto, Paulo Fukue e Fernando Ikoma.

No artigo assinado pela pesquisadora Patrícia Maria Borges, especialista em Comunicação e Semiótica da PUC-SP, você pode  conhecer um pouco mais sobre a obra destes mangaká pioneiros, além de ter um panorama sobre os desenhistas contemporâneos. Leia o artigo nas páginas 8, 9 e 10.

A obra de Claudio Seto tem destaque especial na pesquisa, com análise de duas histórias de Flores Manchadas de Sangue, livro publicado no ano de falecimento do autor (2008).  Seto é considerado, junto com Minami Keizi, o introdutor do mangá no Brasil.  Além disto, tornou-se popular em Curitiba por ser o criador dos festivais folclóricos na região.

No aniversário de 3 anos de sua morte ele recebeu diversas homenagens: o vídeo O Samurai de Curitiba, dirigido por Rober Machado e José Padilha, a 2a. edição do livro Ayumi – Caminhos Percorridos, pela Imprensa Oficial do Paraná e também a inclusão do Seto Matsuri na Virada Cultural local.

E para reviver os heróicos tempos da editora curitibana de quadrinhos Grafipar, editora da qual Seto foi um dos cofundadores, a edição de novembro da Revista de História da Biblioteca Nacional  traz um artigo de autoria de Luciano Henrique Ferreira Dias, pesqisador da Universidade Federal do Paraná,  em que cita a editora.

NOTÍCIA | PRÊMIO LITERÁRIO NIKKEI

Os livros Nihonjin, de Oscar Nakasato, Contos do Sol Nascente, de André Kondo e Retratos Japoneses no Brasil – Literatura Mestiça, organizado por  Marília Kubota receberam o  Prêmio Literário Nikkei 2011.

A cerimônia de entrega dos prêmios será neste sábado (12 )  às 13 horas, no Salão Nobre do Bunkyo de São Paulo (  Rua São Joaquim, 381 – 2º andar – Liberdade).

Durante a solenidade será prestada homenagem póstuma a H. Masuda Goga, poeta haicaísta, cujo centenário de nascimento transcorre este ano, pela sua relevante contribuição à difusão do haicai no meio literário do Brasil.

NOTÍCIA | JORNAL MEMAI 08 É LANÇADO

No aniversário de 2 anos do  JORNAL MEMAI , a edição  08 –   Primavera 2011  faz uma homenagem a dois protagonistas da cultura japonesa divulgada no Brasil: Geny Wakisaka e Claudio Seto.

A professora Geny Wakisaka realizou uma pesquisa cujo tema é o Man Yôshu, a primeira antologia da poesia japonesa. Em 2008 ela recebeu um prêmio do governo japonês por esta pesquisa, que inclui alguns poemas traduzidos. O trabalho foi publicado pela primeira vez no Brasil pela Hucitec, em 1992, com subsídio da Fundação Japão e apoio da Aliança Cultural Brasil-Japão.

O jornal também presta homenagem a Claúdio Seto, que  completa 3 anos de falecimento. Um artigo assinado pela pesquisadora Patrícia Borges destaca a atuação dos mangá-ka (desenhistas de mangá) brasileiros, como Seto, Julio Shimamoto, Fernando Ikoma, entre outros.

O JORNAL MEMAI foi  lançado no II Seto Matsuri,  realizado nos dias 05 e 06 de novembro,  no Museu Oscar Niemeye, em Curitiba. A publicação,  que tem periodicidade trimestral,  é distribuída gratuitamente. Além de ser distribuída em eventos da comunidade,  também tem circulação dirigida. Interessados em ler o jornal impresso  pode pedir pelo email  editorjornalmemai@gmail.com.