NOTÍCIA | MEMAI no Blogue Sobretudo

Luiz Claudio de Oliveira publicou uma nota sobre o Jornal Memai em seu blog no site da Gazeta do Povo, Sobretudo. Arigatô né, Ruisu Curaujio-san!

Vertigem. Um grupo de pessoas ligadas à cultura e à língua japonesas no Paraná está querendo provocar vertigens. Eles acabam de lançar a revista Memai, nome que, em japonês quer dizer “vertigem”. A revista tem circulação dirigida e no número de estréia traz uma reportagem sobre o inesquecível e insuperável Claudio Seto, quadrinista e artista plástico, introdutor do mangá no Brasil e incentivador das artes e costumes japoneses no Brasil. A matéria é assinada pelo colega aqui da Gazeta On-line, Célio Yano.

A edição da revista é feita pela jornalista e poeta Marília Kubota, que faz uma entrevista com o escritor Wilson Bueno, que explica sua aproximação ao tanka, tipo de poema japonês com 31 sílabas. A revista ainda tem as colaborações de Rodrigo Wolff Apolloni, Lina Saheki e Mylle Silva.

Memai também pode ser acompanhada pela internet, no endereço www.jornalmemai.com.br

NOTÍCIA | MEMAI no Blogue Orelha do Livro

Mariana Sanchez publicou em seu blog Orelha do Livro uma nota sobre o Jornal Memai na feira do livro do SESC. Muito obrigado pela menção do Memai em seu blog Mariana!

E Nasce Memai

Do japonês, vertigem. Foi esta palavra sonora e poética a escolhida para nomear o primeiro jornal do Brasil dedicado à literatura e às artes japonesas. A publicação, uma iniciativa da escritora Marília Kubota em parceria com outras entusiastas da terra do sol nascente, terá lançamento em Curitiba esta semana, durante a 28a Feira de Livros do Sesc Paraná. O número zero traz o perfil de Claudio Seto (introdutor do mangá no país, falecido no ano passado), um artigo sobre o estúdio Ghibli (do criador de “A viagem de Chihiro”) e uma entrevista com o escritor Wilson Bueno, autor de dois livros de tanka: “Pequeno Tratado de Brinquedos” e “Pincel de Kyoto”. O tanka, para quem não conhece, é uma forma poética japonesa clássica, muito popular no Japão antes da difusão do haicai. O jornal Memai será trimestral, com distribuição gratuita, e seu conteúdo pode ser lido aqui.